Integrantes do IBPEA, SAERJ e OABRJ entrevistaram o dr. Técio Lins e Silva

O advogado Técio Lins e Silva foi o entrevistado de setembro da Revista do Instituto Brasileiro de Pequenos Escritórios de Advocacia (IBPEA). A entrevista, realizada no escritório do dr. Técio, no Centro do Rio de Janeiro, teve a participação do presidente do Sindicato dos Advogados do Estado RJ (SAERJ), dr. Cláudio Goulart; do presidente do IBPEA, dr. Tiago de Melo Cunha; além da presença de diretores das duas entidades e também da Comissão de Pequenos e Médios Escritórios da OABRJ – o depoimento foi filmado e pode ser visto, na íntegra, no YouTube da OABRJ: clique aqui para ver.

Para o presidente do IBPEA, dr. Tiago de Melo Cunha, a entrevista é uma homenagem ao dr. Técio, em sua longa carreira em defesa da advocacia e da democracia em nosso País; também busca gerar um acúmulo de referência para os jovens advogados e advogadas.

Presidente do IAB, secretário de Justiça do estado do Rio, representante da OAB no CNJ, advogado de presos políticos na ditadura militar, tendo acabado de receber a Medalha Sobral Pinto, por mais de 50 anos de inscrição na Ordem – este é um resumo da carreira de Técio. Com isso, o dr. Técio foi, inicialmente, instado pelo presidente do SAERJ, Cláudio Goulart, a falar sobre a experiência dele no CNJ: “No CNJ, pode-se dizer que vivi nas entranhas do poder Judiciário”, respondeu o entrevistado. Ele também criticou a falta de independência do dito Controle Externo do Judiciário, que seria o CNJ.

A procuradora do SAERJ, dra. Silvia Correia, perguntou em seguida sobre a experiência de Lins e Silva como secretário de Justiça, no governo Moreira Franco (1987 a 1990): “Foi enriquecedor, pois foi um período em que o estado entendeu melhor a situação dos presos; foi o momento também em que criamos a Defensoria Pública, dando autonomia a este órgão, em relação à Secretaria”.

‘A ADVOCACIA CRIMINALISTA VEM SOFRENDO UM ESVAZIAMENTO ENORME’

Entrevista com o advogado Técio Lins e Silva: Tiago de Melo Cunha (presidente do IBPEA), Técio e Cláudio Goulart (presidente do SAERJ)

Sobre o papel do advogado criminalista, hoje em dia, pergunta da diretora do SAERJ, dra. Valéria Pinheiro, Técio falou que “a situação está muito difícil. A advocacia criminalista vem sofrendo um esvaziamento enorme. O que é gravíssimo” – ele também criticou, profundamente, o novo instituto da delação premiada. O tema foi aprofundado, a partir de outra pergunta do procurador do estado e integrante do IBPEA, dr. Marcos Vinícius.

Aos jovens advogados e advogadas, o dr. Técio falou, perguntado pela diretora do IBPEA e do SAERJ, dra. Jéssica Brito: “Meu conselho é que o jovem advogado e advogada têm que fazer tudo; não tem que escolher causa, no início da carreira”.

O tesoureiro do SAERJ, dr.Ítalo Aguiar, perguntou sobre as semelhanças e diferenças da militância do advogado nas instâncias inferiores e superiores dos tribunais. Nesta resposta, o advogado opinou sobre o dia a dia nos tribunais e afirmou: “A advocacia vive um momento muito difícil, e não é só pra quem está começando”.

Ainda sobre a dificuldade de advogar, no presente, respondendo ao diretor do IBPEA, dr. Leonardo de Cairo Mello, Técio disse: “Temos que ter muita atenção para não capitular para essas restrições diabólicas contra a advocacia. E se aprimorar, sempre. Ser competente e ético é o caminho que nos resta”.

Técio também falou sobre a questão da violência contra a mulher na sociedade e na própria advocacia, respondendo à dra. Brunela Moraes, da Comissão da Mulher do IBPEA. Neste momento, o advogado relembrou o nome de criminalistas históricas.

‘O CLIENTE TEM QUE SER ACOLHIDO’

SAERJ, IBPEA e OABRJ entrevistaram o advogado Técio Lins e Silva, em seu escritório

O presidente do IBPEA, Tiago de Melo, e o presidente do SAERJ, Cláudio Goulart, ao final, agradeceram ao dr. Técio. Cláudio afirmou que o depoimento “foi uma aula e que é um prazer ter o dr. Técio como associado do SAERJ”.

Tiago Melo pediu uma mensagem para os advogados dos médios e pequenos escritórios, ao que o dr. Técio respondeu: “Pode (o escritório) até ter uma pequena estrutura, não tem problema nenhum. Mas seja exigente na escolha do parceiro (da sociedade). O importante é o serviço que você presta. O cliente tem que ser acolhido”.