Inaceitável a nota da Chefia do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, divulgada há pouco em rede social. A nota, travestida de “alerta à nação”, quer, na verdade, intimidar, de um golpe só, a PGR e o Supremo, que investigam supostos crimes cometidos pelo presidente do País, a partir de denúncias do ex-ministro Sergio Moro.

Ninguém está acima da lei e a Constituição é baseada na autonomia dos poderes. Não cabe, portanto, ao chefe do GSI dizer ao STF e à PGR o que devem fazer.

Um absurdo total, que tem que ser repudiado por toda a sociedade, com o devido pedido de desculpas do responsável pela nota.

Álvaro Quintão – presidente do Sindicato dos Advogados-RJ (SAERJ)

Acréscimo: o ministro Celso de Mello acaba de liberar o vídeo da reunião ministerial, citado pelo ex-ministro Sergio Moro como uma das provas da suposta interferência do presidente na PFl – clique aqui.