O Dieese disponibilizou em seu site oficial um estudo bastante detalhado sobre a política de valorização do salário mínimo incrementada pelos governos Lula e Dlma, em acordo com as principais centrais sindicais brasileiras. Esta política é resumida assim pelo instituto: “Também como resultado dessas negociações, foi acordado, em 2007, uma política permanente de valorização do salário mínimo até 2023. Essa política tem como critérios o repasse da inflação do período entre as correções, o aumento real pela variação do PIB, além da antecipação da data-base de revisão – a cada ano – até ser fixada em janeiro, o que aconteceu em 2010”.
No estudo, o Dieese afirma que, com o novo salário mínimo que começará a valer em 1º de janeiro de 2012, no valor de R$ 622,00, a economia brasileira terá um incremento de renda de R$ 47 bilhões.
O Dieese também estima que o novo salário mínimo terá um aumento real, em relação ao reajuste de março de 2011, de 9,5%.
Outra importante constatação do estudo tem a ver com a cesta básica: “Com o valor do salário mínimo em R$ 622,00 e a cesta básica de janeiro estimada em R$ 276,31, estima-se que o salário mínimo terá então um poder de compra equivalente a 2,25 cestas básicas. Na série histórica da relação entre as médias do salário mínimo anual e da cesta básica anual verifica-se que a quantidade de 2,25 Cestas Básicas é a maior registrada desde 1979”.
O estudo pode ser lido aqui (em PDF).