Folha de S. Paulo (FELIPE LUCHETE): A corregedora do CNJ, Eliana Calmon, defendeu ontem o afastamento de dois desembargadores do Rio Grande do Norte apontados como integrantes de um suposto esquema de desvio de recursos de precatórios no Estado.
Em depoimento à Justiça, a ex-chefe da divisão responsável pelos pagamentos, Carla Leal, disse que, durante cinco anos, entregou dinheiro de fraudes a Osvaldo Cruz e Rafael Godeiro, ex-presidentes do TJ-RN. Eles negam.
O Tribunal de Contas do Estado identificou irregularidades e desvios que ultrapassaram R$ 11 milhões.
Para Calmon, o afastamento é necessário diante da “exposição” do Judiciário e para “preservar” os investigados.
Ela disse que os indícios de fraudes já constatados permitem que o CNJ pule etapas do processo de investigação.
O pedido será enviado ao plenário do CNJ, quando será discutida a abertura de processo disciplinar. Eles também são investigados pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) na esfera criminal.
Segundo o TJ-RN, Cruz está em licença médica, e Godeiro, em férias.