Comissão da Mulher Advogada do Sindicato dos Advogados-RJ se reuniu para discutir a importância do 8 M, com a presença de Álvaro Quintão (foto: Vanor Correia)

 

No 8 de março (8 M), Dia Internacional da Mulher, a Comissão da Mulher Advogada do Sindicato dos Advogados-RJ se reuniu para discutir as condições de trabalho das operadoras do Direito e as perspectivas da profissão. Dezenas de advogadas compareceram ao evento, realizado no Bairro da Tijuca. O presidente do Sindicato, Álvaro Quintão, também compareceu à reunião.

A diretora do Sindicato e anfitriã do evento, Valéria Pinheiro, abriu a reunião, fazendo um histórico das lutas recentes da advocacia fluminense, em relação às dificuldades das mulheres terem postos institucionais e profissionais importantes.

“A Comissão foi criada para que nossas reivindicações sejam postas no mundo da Advocacia”, afirmou Valéria.
Ela lembrou de uma das conquistas recentes da Comissão: a realização do painel específico das mulheres no Seminário do Sindicato sobre a reforma trabalhista, em novembro do ano passado, que teve a presença de mais de 500 advogados. O painel teve o nome: “Prescrição intercorrente, o teletrabalho sem horas extras e o trabalho da mulher gestante e lactante em atividades insalubres”, e teve a participação apenas de mulheres: a vice-presidente do Sindicato, Adilza de Carvalho Nunes, a desembargadora do TRT-RJ, Giselle Bondim Lopes Ribeiro, a juíza trabalhista Raquel Rodrigues Braga e a advogada Silvia dos Santos Correia, também faz parte da Comissão.

Em seguida, na reunião da Comissão, falou a vice-presidente do Sindicato, Adilza de Carvalho Nunes, que detalhou a importância de as advogadas discutirem sua situação no trabalho. E lembrou que mais da metade dos advogados, hoje em torno de 1,1 milhão de profissionais, são mulheres: “Se conseguirmos fazer com que as mulheres se unam pelos objetivos específicos, nossa situação certamente mudará para melhor”.

Álvaro Quintão presente à reunião da Comissão da Mulher Advogada

O presidente do Sindicato, Álvaro Quintão, discutiu com as colegas o histórico recente da atuação da entidade nas lutas da advocacia fluminense, tendo citado a luta contra a precarização e a fraude na contratação de advogados; a questão da transparência do Quinto Constitucional; a tentativa por parte do TRT-RJ de retirar 40 varas do Trabalho do Centro da cidade (descentralização), só barrada após grande campanha liderada pelo Sindicato, entre outras mobilizações.

Ele pediu às advogadas participantes da Comissão que reforcem as lutas específicas e também gerais da advocacia: “As mulheres são mais de 500 mil advogadas em todo o país, mais da metade dos profissionais do Direito. E mesmo assim, têm direito a apenas 30% da composição das chapas na OAB. Isso reflete o machismo enfronhado em nossas entidades representativas, mesmo que inconsciente”.

Estiveram presentes na reunião do Dia Internacional da Mulher as seguintes componentes da Comissão da Mulher Advogada do Sindicato: Barbara Cátia Silva, Cristina Luz, Jessica Brito, Pamela Barros e Stefanie Pacheco, além de Adilza Nunes, Valéria Pinheiro e Sílvia Correia.

Álvaro foi acompanhado pelos diretores do Sindicato Claudio Goulart e Antonio Silva Filho.